Divino de São Lourenço completa 57 anos em plena ascensão

Aniversário de emancipação da cidade aconteceu dia 05 de junho

Por Estevão Gomes 10/06/2021 - 11:53 hs

O município de Divino de São Lourenço foi habitado inicialmente por índios puris. A região foi ocupada no século XIX por desbravadores vindos da Província de Minas Gerais, implantando a cultura do café na região. Inicialmente, utilizava-se a mão de obra escrava. Com a abolição da escravatura em 1888, a mão de obra passou a ser constituída por trabalhadores europeus e asiáticos, principalmente italianos. 

O nome inicial da vila era Imbuí, termo de origem tupi antiga que significa “rio das cobras” ou “rio dos imbus”. Ela foi formada por doação de terras de João Vicente Soares para a Igreja Católica.  A vila, junto com Ibitirama, Ibatiba, Iúna e Irupi, formava as cinco localidades começando com “i” da região. 

O nome atual é uma junção de “Divino Espírito Santo”, expressão que constava na escritura das terras que formaram a cidade e “São Lourenço”, o padroeiro da cidade. Em 5 de junho de 1964, no mandato do então governador Francisco Lacerda de Aguiar, Divino de São Lourenço foi desmembrado de Guaçuí, ficando criado o município. Na época, Senhor Otávio Gomes de Aguiar foi designado pelo governador para assumir a administração municipal. Em 68, assumiu o primeiro prefeito eleito, José Maria Gonçalves. 

Situado a 690 metros de altitude, Divino tem a maior reserva de mata atlântica dentre os municípios que formam a região do Caparaó. É cercado por inúmeras cachoeiras de águas límpidas e cristalinas. O município tem como atividade econômica principal a agropecuária, baseada na exploração de leite e café, iniciando-se outras culturas como a fruticultura e a madeira.

É conhecida na região como Cidade Natureza. A cidade atrai fiéis católicos do estado inteiro com seus encontros e no município localiza-se as maiores reservas de Mata Atlântica primária de toda a Serra do Caparaó.

O município tem também várias cachoeiras de águas cristalinas, dentre elas a do Granito e a Cachoeira Alta, localizadas a 11 km da sede. O distrito de Patrimônio da Penha é hoje uns dos maiores atrativos para turistas do Brasil e do mundo, local com a maior concentração de visitantes nos finais de semana e feriados prolongados.  

Está localizada a 23 km do acesso ao Pico da Bandeira, situado em Pedra Menina, distrito de Dores do Rio Preto, mas Divino não é menos conhecida dos capixabas. É um lugar calmo, com muita natureza e ar puro, mas com muitas opções de lazer e atividades esportivas como ciclismo, em alta no momento. 


Tem atualmente como prefeito reeleito Eleardo Costa Brasil, que promoveu diversos avanços no desenvolvimento do município, dinamizando os serviços de saúde com instalação do Samu, melhorias na educação e aprimoramento do serviço de assistência e desenvolvimento social. Da mesma forma, a agricultura, as estradas rurais entre outros. 

Eleardo ressalta que o turismo é outro fator preponderante no desenvolvimento do município, com rede de hospedagem e receptivos turísticos para visitantes que vem de toda parte do Brasil e do mundo. Esse ramo está ganhando força com melhorias das estradas no entorno do Caparaó, citando o asfaltamento do trecho de Divino a Guaçuí e o projeto em andamento para asfaltar o trecho da sede até patrimônio da Penha.